quinta-feira, 22 de outubro de 2015

ISTO DE SER MÃE #3 - A AMAMENTAÇÃO.

Hoje falo-vos sobre a amamentação.

Quando uma pessoa está grávida é sujeita a uma espécie de lavagem cerebral sobre os benefícios do leite materno, não obstante, somos também alertadas para o facto das mães e das sogras serem as nossas principais inimigas neste processo, ainda que de forma (obviamente) involuntária.

Passo a explicar.

Assim que o Santiago nasceu fiz logo questão de o tentar amamentar nas primeiras horas de vida - era importante para ele, era importante para nós. 
Embora não quisesse cair em grandes fundamentalismos, eu gostava de poder amamentar, no entanto, se não fosse algo prazeroso para ambos, sabia que não iria insistir neste processo. Mas tudo correu bem, mesmo na subida do leite e, passados mais de 3 meses, continuo a amamentar. Apenas porque eu quero. Simplesmente porque eu quero.

Contudo, não tem sido fácil esta batalha da amamentação. Quando as enfermeiras alertavam para o facto de nos mantermos invictas nesta convicção, achei que estavam a exagerar porque quer a minha mãe, quer a minha sogra eram pessoas informadas e sabiam dos benefícios do leite materno. Enganei-me. Enganei-me redondamente.

Quer uma, quer outra, já exerceram pressão com aquela frase tão famosa: isso é fome. É sempre fome. Por vontade delas já o deviam querer a comer um ensopado de borrego. Caramba, eu juro que pensei que isto não me ia acontecer e tenho a certeza que esta pressão exercida sob mamãs menos confiantes pode fracassar a amentação. Mas eu tenho batido o pé, e não me demovem assim, sem mais nem menos. Se os médicos dizem que ele está óptimo, então em equipa que ganha não se mexe.

É claro que dar mama tem inúmeros benefícios, mas também tem diversas desvantagens para a mulher: é o peito que fica sem graça, é a  barriga que não pode ir ao lugar tão depressa quanto queremos porque não podemos entrar em dietas malucas, é o tempo despendido para amamentar; ... entre outras. E quando se aliam estas desvantagens à pressão feita pelos pais/sogros, então é um instantinho até uma pessoa se virar para o biberão. Mas comigo deram-se mal. Até que o pediatra entenda, haverá leitinho exclusivo para o Santiago.

Por isso mamãs, se estão a amamentar, e se o fazem realmente por gosto, não cedam a pressões e batam o pé. Falem com quem sabe e com quem acompanha o crescimento do vosso bebé. A confiança por parte dos profissionais de saúde é realmente importante.
Mas da mesma forma que vos digo para amamentarem, também vos digo que caso não tenham prazer em alimentar o vosso filho desta forma (pelos mais variados motivos), não entrem em desespero, felizmente hoje em dia há tantas soluções. 
Apreciem a felicidade, a vossa e a do vosso filho num momento tão especial como este. O resto é conversa.

13 comentários:

  1. Este processo da amamentação tem que ser mesmo quando a mãe tem esse desejo. O inicio da amamentação do meu pequeno, foi um filme, teve 3 semanas para aprender a mamar, as mamas encaroçaram imenso. Apanhei uma infecção e não pude amamentar uma semana e por ai fora... Só amamentei até 1 ano de idade porque queria mesmo, porque fiz questão, senão tinha mandado tudo as urtigas na primeira semana.

    ResponderEliminar
  2. Amamentar para mim não foi o mar de rosas nem tão lindo como para maior parte das mães mas se fosse falar sobre o que eu particularmente achei muitas pedras iriam cair-me em cima, lá está pela pressão que hoje em dia fazem para amamentar ,sou tão de acordo contigo seja para amamentar ou não o importante é que seja bom para a mãe e o bebé agora quem está de fora racha lenha .

    ResponderEliminar
  3. Sinceramente acho que as mães e as sogras se sentem ameaçadas pela maternidade das filhas/noras. Talvez tenham receio de serem esquecidas ou que achem que não sabem nada, e então começam a bombardear com um assunto qualquer. Se não fosse com a amamentação, seria com outra coisa.
    Em termos biológicos, o teu leite tem tudo o que o teu filho necessita. Enquanto o tiveres, e lho puderes dar, não há melhor. Quem não concordar, olha, que se componha.

    ResponderEliminar
  4. acho que a frase final resume tudo: o que é verdadeiramente é a felicidade da mãe e do bebé. ainda não sou mãe, mas quero muito ser e estou de acordo com tudo o que escreveste :) beijinho

    ResponderEliminar
  5. Eu acho sinceramente que acima de tudo tem de ser uma decisão da mãe que não pode nem deve ser influenciada por terceiros!
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Sobre este tema há sempre tantas opiniões . Faz o que te faz feliz, a ti e ao teu filho :)

    ResponderEliminar
  7. Podes estar a dizer muitas verdades, mas como deves entender não venho cá dizer muito mais que isto =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  8. Great post dear! Have a nice day:)

    irenethayer.com

    ResponderEliminar
  9. Olá, assino por baixo deste teu texto, não podia estar mais de acordo.
    É uma pressão enorme sobre a mãe e a velha história de mal o bebé chora "É Fome" é um clássico, que de qualquer forma irrita solenemente. Eu nunca dei azo a grandes palpites, mas acabam sempre por se meter onde não foram chamados. Mas a vida se encarrega de mostrar que somos capazes, eu amamentei a minha filha em exclusivo até aos 6 meses (só leitinho bom da mamã) e consegui amamentar até aos14 meses. Foi muito bom adorei a experiência e recomendo a todas as mães que consigam e gostem de o fazer.
    Beijinhos do Paraíso e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  10. Nem mais!! Amamentei o Dinis 6 meses em exclusivo e mesmo já sendo o segundo filho ouvia inúmeras vezes, ai que está magrinho, ai que tem fome, ai que não dorme porque tem fome, e é fome, e é fome,... bla bla bla. Ele está ótimo!!! 6 meses em exclusivo que me deram muito prazer! Agora estamos a introduzir aos pouqinhos a papa e sopas e fruta mas 1x ao dia tudo o resto é maminha e eu adoro!!

    ResponderEliminar
  11. Pensava que a pressão passava mais por amamentar em exclusivo com o leite materno uma vez que é do conhecimento geral os seus benefícios!
    Devido à prematuridade do meu filho, tive dificuldades acrescidas na amamentação e o medo dele perder peso faz com que dê também o complemento. Depois falo sobre a minha experiência.
    Se o teu menino está a ganhar peso é sinal que o teu leite é suficiente, não ligues.

    ResponderEliminar
  12. Eu estou a amamentar a M. mas quando ela tinha três semanas tivemos de introduzir o suplemento (esta coisa de separar o pai da mãe e da bebé mexeu muito com o sistema nervoso da mamã e isso notou-se no leitinho :( )
    Neste momento estou a amamentar em exclusivo, mas se em alguma das mamadas a M. mostra que não está satisfeita ou se por acaso o nº de fraldas sujas diminuir não tenho nenhum problema em lhe dar o suplemento.
    Adoro amamentar, mas mais importante é ela estar bem :)

    ResponderEliminar
  13. Isto é que é falar do assunto de forma bem clara e aberta. Gostei. Espero que esteja a ser uma fase maravilhosa.

    ResponderEliminar

DEIXA A TUA OPINIÃO FORMAR A TEIA!