sexta-feira, 30 de setembro de 2011

E EU...

... tive uma das piores notícias que poderia um dia esperar. Sem mais nem menos ouvi, como quem ouve que tem uma constipação e que vai passar rápido! Engoli em seco, não esperava, e ele também não. Agora já não esperava. Foram oito meses exaustos de exames e examinhos que indicavam estar tudo na perfeição... e agora isto, este balde de água fria! Não estou triste e desanimada, claro que não, somos fortes e não duvido disso, mas como é que se passam oito meses a descansar uma pessoa e depois... pimba, a doença mostra-se, de forma subtil e manhosa, que nem uma raposa. São nestas alturas que nos vem à cabeça mil quinhentas e três perguntas, questionamos tudo e todos, talvez seja a fase da negação, mas se existe realmente Alguém forte e poderoso onde está? Digam-me onde está, deixem-me falar com Ele!
Embora hoje em dia não seja invulgar, a doença surge nas nossas vidas como um mal que não era esperado, contudo, cá estamos nós, depois do primeiro terramoto de sentimentos, a levar a vida para a frente! Não questionamos que tipo de tratamento se fará, o importante é fazê-lo se necessário. Felizmente a medicina está cada vez mais avançada e isso é um benefício para todos os cidadãos.
Em Novembro, estarei ao lado dele, firme que nem uma rocha, para ouvir a sentença. Independemente do que seja sentenciado, estaremos juntos, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida - assim prometemos ao Sr. Padre há pouco mais de 14 meses.


Eu já sonhei com a vida
Agora vivo um sonho
Mas viver ou sonhar
Com você, tanto faz

Não diga não precisa
Eu digo que é preciso
A gente se amar demais
Nada a mais

Mas tem que ser assim
Pra ser de coração
Não diga não precisa
Ah Ah Ahh

1 comentário:

  1. Lamento imenso, porque sei o quanto é difícil ver sofrer quem amamos. Desejo-te muita força. Se precisares, estarei aqui, conta comigo.

    ResponderEliminar

DEIXA A TUA OPINIÃO FORMAR A TEIA!